IMPOSTO DE RENDA 2015: Programe-se já com este passo a passo

O preenchimento da declaração do Imposto de Renda de 2015 (ano-base 2014) inicia somente no primeiro dia de março, mas é altamente recomendável antecipar-se desde já a fim de evitar problemas no momento de lançar as informações.

Confira aqui a tabela atualizada com os valores e faixas do IRPF 2015


Mesmo com as regras não anunciadas ainda pelo governo, já temos alguns passos que podemos adiantar para que tenhamos nosso trabalho facilitado na hora do preenchimento das informações.

Para quem se prepara para sua primeira declaração, os cuidados devem ser redobrados.
Os documentos devem ser separados e organizados com maior antecedência e, em caso de dúvidas, um analista ou profissional da área deve ser consultado.

Como novidade para 2015 tivemos em novembro o lançamento de um aplicativo por parte da Receita. Tal aplicativo permite preencher um “rascunho” da declaração do IR 2015, onde é possível colocar as informações já disponíveis gradualmente, antes do lançamento do programa da declaração, em março.




Importante: Tal iniciativa serve apenas para facilitar o preenchimento da declaração e não substitui o lançamento oficial. No programa de “rascunho” podemos inserir as informações de bens e direitos, a compra de um imóveis ou veículos, bem como gastos dedutíveis realizados no ano calendário, como os com saúde e instrução.

Declaração Simples ou Completa?

O programa da receita conta com uma funcionalidade interessante que mostra, no quadro “opção”, no canto esquerdo do monitor, qual será o valor da restituição ou do imposto a pagar. Aos que não possuem muita prática, recomenda-se o preenchimento do modelo completo, que permite lançar gastos dedutíveis.
Já para o contribuinte que não possui muitas despesas que permitem abatimento, o modelo simplificado se torna mais fácil, com desconto único de 20% sobre os rendimentos tributáveis.

Dicas para o IRPF 2015:

Verifique o status da declaração anterior:
Caso você não se lembre da situação de sua última declaração e não possua uma cópia dela salva, consulte no site da receita a atual situação da sua declaração do ano anterior para evitar maiores incomodações. Resolva as possíveis pendências o mais rápido que puder.

Importe a declaração do ano anterior:
O programa oficial da Receita Federal permite importar os dados do documento preenchido no ano passado. Os arquivos sempre devem ser armazenados no computador para posterior importação.

Junte e organize os comprovantes de despesas:
Gastos com saúde e educação podem necessitar de comprovação à Receita.
Por esse motivo é essencial guardar os comprovantes e recibos de despesas e lança-los de forma correta no programa, a fim de evitar incomodações posteriores.

Reúna os informes de fontes pagadoras:
Em sua grande maioria, instituições financeiras, bancos, corretoras e afins, encaminham aos seus clientes os extratos para declaração até o final de fevereiro. A maioria dos estabelecimentos também oferecem serviços via internet para a emissão dos documentos, em caso de dúvidas, contate as empresas em que você possui contas ativas.

Junte as documentações de compra ou venda de bens:
A venda de bens com lucro exige que o contribuinte informe o valor pelo qual ele foi adquirido e qual o ganho obtido com a transação.


Por hoje era isso meus Pobres queridos. 

Uma excelente semana e um grande abraço a todos vocês!

** Como parte da política de transparência do blog, informo aos leitores que não tenho certificação como analista de investimentos e, portanto, esta postagem representa apenas a minha opinião pessoal, e não uma recomendação de compra ou de venda de ações/fundos imobiliários. 

As observações aqui descritas não devem ser usadas isoladamente como base para compra e venda de ativos. 

Estudem, façam suas próprias análises e tomem suas próprias decisões.