Investimentos Para 2016: Confira as Melhores Opções do Mercado!

Você conhece os melhores investimentos para 2016? Frequentemente nos deparamos com diversas alternativas de investimento para aplicar os nossos recursos, mas, você sabe onde alocar seu capital visando obter uma boa relação entre rentabilidade e segurança?

Este artigo tem como objetivo apontar as principais alternativas de investimento para o ano que está por vir. Vamos colocar nossas economias para trabalhar por nós, fazendo com que nosso esforço seja consideravelmente reduzido com o poder dos juros compostos. Confira este artigo e saiba quais os melhores investimentos para 2016.

Renda Fixa – Investimentos Para 2016

Certificado de Depósito Bancário (CDB): A sigla CDB significa Certificado de Depósito Bancário. São títulos nominativos de renda fixa e o rendimento pode ser prefixado ou pós-fixado. Faz parte da modalidade de depósito a prazo, ou seja, é um título de renda fixa emitido pelos bancos em que a remuneração e o prazo são negociados no momento da aplicação. Funciona como um depósito que permite receber o seu dinheiro mais o juro ao final do prazo predeterminado. É um investimento considerado de baixo risco e que conta com a solidez e a credibilidade das grandes instituições bancárias do Brasil.
Rendimento esperado: de 0,8 a 0,9% líquidos, supondo que a SELIC se mantenha nos atuais patamares.
Aplicação mínima: Na maioria das instituições financeiras são encontradas boas opções de CDB’s a partir de R$100,00.

Letra de Crédito Imobiliário (LCI): A LCI é um dos instrumentos de Renda Fixa mais procurados pelo investidor pessoa física e que mais cresceram nos últimos anos, por conta de sua isenção de Imposto de Renda para esse público. Representa uma fonte de recursos para o setor imobiliário, pois possui como lastro créditos imobiliários. Para explicar de forma mais simples a LCI é um empréstimo de dinheiro que você faz a uma instituição. Os recursos do empréstimo serão destinados para financiar o setor imobiliário. Logo, quando você empresta dinheiro para uma determinada instituição, ela faz um “contrato” com você firmando quanto irá pagar de juros em um determinado prazo.
Rendimento esperado: de 0,9 a 1,1% líquidos, supondo que a SELIC se mantenha nos atuais patamares.
Aplicação mínima: Na maioria das instituições financeiras são encontradas boas opções de CDB’s a partir de R$30.000,00.

Letras de Crédito do Agronegócio (LCA): A LCA é um título emitido por uma instituição financeira. É utilizado para captar recursos para participantes da cadeia do agronegócio. Criados pela Lei nº 11.076, esses papéis tem como um de seus atrativos o fato de que os investidores pessoas físicas têm seus rendimentos isentos de Imposto de Renda. Outro diferencial é o fato de as LCAs emitidas a partir de 23 de maio de 2013 terem cobertura do Fundo Garantidor de Crédito (FGC) até o limite estabelecido pelo Fundo para recursos numa mesma instituição. Um dos diferenciais das LCAs registradas na Cetip é a gama de lastros (garantias) que podem ser atrelados a elas. Como lastro, entende-se os direitos creditórios vinculados a produtores rurais, suas cooperativas, e terceiros, inclusive empréstimos e financiamentos relacionados com a produção, comercialização, beneficiamento ou industrialização de produtos ou insumos agropecuários ou de máquinas e implementos utilizados nesse setor.
Rendimento esperado: de 0,9 a 1,1% líquidos, supondo que a SELIC se mantenha nos atuais patamares.
Aplicação mínima: Na maioria das instituições financeiras são encontradas boas opções de CDB’s a partir de R$30.000,00.

Dicas de Materiais – Investimentos Para 2016:

Curso Poupar & Investir

Investimentos Para 2016

Investimentos Para 2016


Tesouro Direto – Investimentos Para 2016

Os títulos públicos são ativos de renda fixa, ou seja, seu rendimento pode ser dimensionado no momento do investimento, ao contrário dos ativos de renda variável (como ações), cujo retorno não pode ser estimado no instante da aplicação. Dada a menor volatilidade dos ativos de renda fixa frente aos ativos de renda variável, este tipo de investimento é considerado mais conservador, ou seja, de menor risco.
Ao comprar um título público, você empresta dinheiro para o governo brasileiro em troca do direito de receber no futuro uma remuneração por este empréstimo, ou seja, você receberá o que emprestou mais os juros sobre esse empréstimo. Dessa maneira, com o Tesouro Direto, você não somente se beneficia de uma alternativa de aplicação financeira segura e rentável, como também ajuda o país a promover seus investimentos em saúde, educação, infraestrutura, entre outros, indispensáveis ao desenvolvimento do Brasil.

Tesouro Direto – Vantagens

  • Segurança: Os títulos públicos são os ativos de menor risco da economia, pois são 100% garantidos pelo Tesouro Nacional, ou seja, o Governo Federal garante o seu pagamento. Cabe destacar que o Tesouro Direto existe desde de 2002 e que o Brasil é considerado Grau de Investimento pelas principais agências de classificação de risco do mundo: Fitch, Moody´s e S&P.
  • Alta Rentabilidade: Sem dúvida este é um dos pontos mais importantes quando o assunto é investimento. O rendimento da aplicação em títulos públicos é bastante competitivo se comparado com as outras aplicações financeiras de renda fixa existentes no mercado.
  • Custos: O Tesouro Direto tem um custo bastante competitivo comparado aos Fundos de Investimento. Esses normalmente cobram menores taxas quanto maiores os valores investidos. Por exemplo, num banco de varejo, para que o investidor pague 0,5% de taxa de administração, costuma-se exigir um investimento mínimo de R$ 500 mil. Já no Tesouro Direto, você consegue essa taxa aplicando apenas R$ 30.
  • Liquidez: Para que o Tesouro Direto possa atendê-lo ainda melhor, oferecendo produtos que se encaixam às suas necessidades, o Tesouro Nacional garante a recompra diária dos seus títulos públicos. Ou seja, você poderá vender antecipadamente os títulos adquiridos no Tesouro Direto ao Tesouro Nacional, todos os dias, a preços de mercado.
  • Acessibilidade: Com apenas R$ 30,00 você já pode investir no Tesouro Direto. Não é preciso nem muito dinheiro para começar a investir nem ser um especialista em investimentos. Qualquer pessoa física com CPF e conta em uma instituição financeira habilitada pode se tornar um investidor do Tesouro Direto.

Retorno esperado: Temos vários tipos de títulos disponíveis, sendo que o investidor pode pré-fixar ou pós-fixar a sua rentabilidade. É possível também comprar títulos que paguem ao investidor uma taxa fixa somada a inflação do período. Para conferir as rentabilidades esperadas para o tesouro direto, recomenda-se consultar as taxas pagas atualmente por cada tipo de título. Estas informações podem ser obtidas pelo link: http://www.tesouro.fazenda.gov.br/tesouro-direto-precos-e-taxas-dos-titulos

Dicas de Materiais - Investimentos Para 2016:

Curso Tesouro Direto Carteira Rica

Investimentos Para 2016

Veja aqui o Review Completo do que você encontrará no Método Carteira Rica

Investimentos Para 2016

DICA DE MATERIAL 02 - Tesouro Direto Descomplicado

Investimentos Para 2016

Veja aqui o Review Completo do que você encontrará no Tesouro Direto Descomplicado

Investimentos Para 2016


Imóveis – Investimentos Para 2016

O mercado dos fundos imobiliários no Brasil vem crescendo de forma exponencial nos últimos anos, acompanhando de perto os fortes investimentos públicos e privados no setor de construção civil. O grande boom nos preços dos imóveis no Brasil já passou, no entanto, ainda é possível lucrar com o mercado imobiliário. Especialistas na área garantem que uma compra bem feita pode gerar uma rentabilidade de 30% em um ano para o investidor. Compras bem feitas são oportunidades pontuais onde o vendedor necessita do capital de forma rápida e aceita vender o seu imóvel por um preço menor do que o preço de mercado.

Investimento em Imóveis – Compra e Venda
Os riscos deste tipo de investimento para o pequeno investidor são grandes, devido aos grandes players que já atuam neste mercado (construtoras, imobiliárias e consultores especializados). Quem optar por este tipo de transação precisa ter experiência e sangue frio para encontrar boas oportunidades, além de dinheiro em caixa para conseguir comprar os imóveis à vista com algum desconto. É preciso ficar atento para não acabar com um imóvel ruim na mão e ter que vender por um preço mais baixo, amargando um grande prejuízo.

Investimento em Imóveis – Alugueis
Existe ainda a opção de comprar imóveis para obter renda fixa e recorrente por intermédio de aluguéis. Neste ponto as salas comerciais merecem uma atenção especial para os investidores por possuírem melhor colocação, menor risco de vacância e maiores taxas de retorno.

Investimento em Imóveis – Rentabilidades
As taxas de retorno são variáveis dentro do investimento em imóveis. Para compra e venda, podemos conseguir ganhos de capital de até 30% na venda de um ativo comprado por preços devidamente depreciados. Já nos alugueis, podemos obter rentabilidades que variam de 0,5 a 0,8% ao mês, de acordo com a localização, tipo de imóvel e contratos firmados.

Dicas de Materiais - Investimentos Para 2016:

Curso de Imóveis - Carteira Rica

Investimentos Para 2016

Investimentos Para 2016


Fundos Imobiliários – Investimentos Para 2016

O mercado dos fundos imobiliários no Brasil vem crescendo de forma exponencial nos últimos anos, acompanhando de perto os fortes investimentos públicos e privados no setor de construção civil. Por muitas vezes não possuímos grandes quantias de capital para o investimento em imóveis propriamente ditos, desta forma, a maneira mais fácil, segura e transparente de se investir neste setor é através dos Fundos Imobiliários.

Fundos Imobiliários – Objetivos
Formados por um grupo de investidores, os Fundos Imobiliários tem como objetivo aplicar recursos em negócios com base imobiliária, como desenvolvimento de empreendimentos imobiliários, imóveis já prontos ou títulos financeiros imobiliários, como CRI, LH, LCI ou cotas de fundos imobiliários já constituídos dos mais variados setores: logística, imóveis comerciais, escritórios, shopping's, hospitais, faculdades, etc. Além disso, o patrimônio do fundo pode ser composto por um ou mais imóveis, partes de imóveis, direitos ou cotas de outros fundos imobiliários.

Fundos Imobiliários – Como Investir
Para a aquisição de Fundos Imobiliários, utilizamos a bolsa de valores. Na prática, esse tipo de investimento é semelhante à compra de um imóvel físico para locação, a diferença está no tipo de aquisição pois nos Fundos Imobiliários os imóveis são adquiridos via cotas, tendo vários cotistas ou donos para cada imóvel. Como nos imóveis fixos, os Fundos Imobiliários também sofrem com a variação do preço do imóvel com o passar do tempo, seja positiva ou negativa.

Fundos Imobiliários – A Vantagem da Diversificação
Com os Fundos Imobiliários é possível adquirir participações em grandes empreendimentos em diferentes centros econômicos do Brasil, ou seja, não há o risco de comprar imóveis somente em uma cidade, podendo assim diversificar as regiões e tipos de imóveis adquiridos.

Fundos Imobiliários – Compre Imóveis com apenas R$50,00
Para a compra de um imóvel físico, o investidor deve alocar grandes recursos. Nos Fundos Imobiliários, a compra de uma participação (cota) em um fundo é o valor da cotação diária atualizada do fundo. Atualmente possuímos cotas de Fundos Imobiliários em valores menores de R$50,00, ou seja, bem menores do que um imóvel físico.

Rendimento esperado: de 0,8 a 0,9% líquidos, supondo que a SELIC se mantenha nos atuais patamares.
Aplicação mínima: Os fundos imobiliários são negociados diariamente no mercado a vista da bolsa de valores, logo, seus valores podem variar de acordo com os pregões. Atualmente temos bons Fundos Imobiliários com valores a partir de R$50,00.

Dicas de Materiais - Investimentos Para 2016:

Curso Fundos Imobiliários - O Guia Definitivo

onde investir em 2016

onde investir em 2016


Bolsa de Valores – Investimentos Para 2016

A bolsa de valores é o mercado organizado onde se negociam ações de sociedades de capital aberto (públicas ou privadas) e outros valores mobiliários, tais como as opções. No Brasil, temos a Bolsa de Valores de São Paulo (BM&F Bovespa) como principal opção para aplicação. Todas as operações neste mercado são organizadas e supervisionadas pela CVM – Comissão de Valores Imobiliários. Os investimentos na Bolsa de Valores são divididos entre duas grandes escolas de aprendizado: A escola técnica e a escola fundamentalista.

Bolsa de Valores – Análise Técnica
Análise Técnica é uma ferramenta utilizada tanto por especuladores profissionais (conhecidos como traders, operadores ou negociantes de mercado institucionais), como por amadores para análise do movimento de preço de alguns ativos financeiros (principalmente ações de boa liquidez), com base na oferta e procura destes ativos financeiros com o objetivo de lucrar através da identificação dos melhores pontos possíveis de entrada e saída em negociações de compra ou venda dos mesmos.

Bolsa de Valores – Análise Fundamentalista
A análise fundamentalista é um campo da análise econômica que lida com um amplo espectro de análises e interpretação da situação conjuntural das empresas. Tais análises e interpretações podem ir desde uma relativamente simples análise e interpretação de balanços de uma única empresa até a possível influência que dados econômicos nacionais possam ter sobre o desempenho desta mesma empresa e/ou sobre todo o setor da economia no qual esta empresa está inserida, e/ou o câmbio (no caso de ser uma empresa com negócios internacionais), e/ou numa commodity (dependendo de quais insumos são matérias-primas desta empresa).

Bolsa de Valores – Cenário Econômico
Para investir na bolsa de valores, é necessário o mínimo conhecimento de economia e dos setores os quais as empresas que você deseja virar sócio estão inseridas. É fundamental avaliar a situação da conjuntura econômica nacional e global visando obter panoramas financeiros futuros para estas companhias.

Bolsa de Valores – Rentabilidade
Não há como prever rentabilidades no mercado de renda variável. É possível obter retornos de 5, 10% ao mês, bem como perder metade do seu capital em um período semelhante. Para obter sucesso nesta modalidade de investimento, seja com ajuda da Análise Técnica ou Fundamentalista, é extremamente recomendável que o investidor procure cursos de capacitação antes de se aventurar de forma precipitada neste mercado.

Dicas de Materiais - Investimentos Para 2016:

Curso O Investidor de Sucesso

Review Completo: Acesse aqui

o investidor de sucesso

onde investir em 2016


Câmbio, Derivatidos e Forex – Investimentos Para 2016

A valorização do da moeda norte-americana já era esperada em razão da melhora da conjuntura econômica dos Estados Unidos. Porém, a aposta da continuidade da alta da moeda se deve aos desequilíbrios no cenário interno. Muitos grandes investidores e fundos privados tem investido em estratégias de hedge em dólar, visando a proteção de seu capital contra os inúmeros riscos que a atual situação da economia Brasileira se encontra. Dentre os grandes fundos, podemos destacar o Fundo Verde, administrado por nada mais e nada menos que Luís Stuhlberger, um dos maiores gestores da atualidade. Trataremos neste artigo sobre 03 modalidades de investimento na área de Câmbio e Derivatidos: Fundos Cambiais, Minicontrados de Dólar e Forex.

Fundos Cambiais
Os Fundos Cambiais possuem como objetivo a concentração dos seus recursos em títulos e posses relacionadas a variação de preços de moedas estrangeiras ou de uma determinada taxa de juros, frequentemente chamada de cupom cambial. O investimento em Fundos Cambiais é recomendado para pessoas que buscam manter o poder de compra de seu capital em moeda estrangeira, ou para pessoas com o perfil de proteção de portfólio (hedge), acreditando que a moeda local possa sofrer uma desvalorização em comparação a moeda de investimento do fundo aplicado. Os fundos de investimento cambiais mais conhecidos são os fundos atrelados ao dólar, que tem como objetivo o investimento na variação diária da cotação da moeda americana.

Minicontratos de Dólar
O minicontrato de dólar é um tipo de investimento em mercado futuro, negociado no segmento BM&F (Bolsa de Mercadorias e Futuros). Trata-se de um derivativo que representa acordos de compra ou venda da moeda no mercado futuro acompanhando diretamente a variação do câmbio. Em resumo, funciona basicamente como uma aposta para a direção da moeda em um determinado período de tempo. O principal risco desta modalidade de investimento é a variação cambial contrária a que o investidor espera, ou seja, a desvalorização da moeda investida. A desvalorização ou valorização dos minicontratos acompanha a variação cambial da moeda investida. Com as perspectivas fortes de alta de moedas estrangeiras, tais investimentos tomam cada vez mais evidencia em nosso dia a dia.

Forex
Investir em FOREX é investir no mercado estrangeiro, ou seja, compra e venda de moeda estrangeira. Em termos de volume de dinheiro movimentado, o mercado de Forex movimenta o equivalente a quase 4 trilhões de dólares estadunidenses diariamente. Os investimentos em Forex incluem trocas entre grandes bancos, bancos centrais, corporações multinacionais, governos, e instituições financeiras em geral. Dos investimentos em moeda estrangeira, o Forex talvez seja o de maior risco, possibilitando assim os maiores ganhos e, por consequência, as maiores perdas.

Dicas de Materiais - Investimentos Para 2016:

Curso Investimentos em Câmbio - Carteira Rica

banner250x250-01

botaoAcessar


Fundos de Investimento – Investimentos Para 2016

Um fundo de investimento é como um condomínio. Qual o objetivo de quem entra nesse condomínio? Por que entregar seu dinheiro para um fundo ao invés de investir você mesmo?Existem alguns motivos que podem levar alguém a investir com a ajuda de um fundo: você conta com gestão profissional para o seu dinheiro, têm acesso à uma estratégia de diversificação a custos menores, podendo ter uma carteira de investimento que você não conseguiria montar sozinho, dentre outros inúmeros benefícios.

Quando o investidor aplica seu dinheiro em um fundo, ele está adquirindo uma determinada quantidade de cotas, cujo valor é diariamente apurado. As instituições financeiras informam o valor das cotas dos fundos todos os dias nos principais jornais ou na internet.

Fundos de Investimento - Rentabilidade VS Desempenho
Quando a instituição divulga a rentabilidade de determinado fundo, está dizendo a você qual foi o percentual de ganho líquido em determinado período. Esse ganho é comunicado a você já descontados o valor das taxas de administração, de performance (se houver) e as demais despesas do fundo. Mas saber quanto rendeu o seu fundo em um mês não é suficiente para saber quanto você ganhou no seu investimento. Afinal, é preciso considerar o tempo em que seu dinheiro está aplicado.

Exemplo:
Valor atual da cota = R$ 1.156
Valor da cota no momento da aplicação = R$ 1.000
Cálculo da rentabilidade: 1.156 / 1.000 = 1,156 - 1 = 0,156 x 100 = 15,6%

Portanto, a rentabilidade neste período foi de 15,6%.

Lembre-se sempre que nem sempre o fundo que apresenta a maior rentabilidade em determinado período pode ser considerado o melhor. É preciso medir a relação entre o risco e o retorno desse fundo. Quanto maior o risco, maior o potencial de valorização de um investimento. Todo o investimento embute certo grau de risco, mesmo os mais conservadores. É importante frisar que o investidor deve estar certo de que conhece os riscos da aplicação antes de investir suas economias em determinado Fundo de Investimento.

Dicas de Materiais - Investimentos Para 2016:

Curso O Investidor de Sucesso

Review Completo: Acesse aqui

o investidor de sucesso

onde investir em 2016


Por hoje era isso, pessoal.

Lembrando sempre que seu conhecimento é seu maior ativo, por isso, invista em sua capacitação.

“Se a Educação parece cara, experimente a ignorância”.

Um abraço e até a próxima!

onde investir em 2016